Rayos X del Cristo en Estudio

COM TECNOLOGIA ARGENTINA INVESTIGAM UMA PEÇA ATRIBUIDA A ANTÔNIO FRANCISCO LISBOA – ALEIJADINHO

É uma obra de Cristo atribuída a Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho, considerado o mais importante artista colonial brasileiro. O INTI (Instituto Nacional de Tecnologia Industrial Argentino) acompanha a empresa Givoa Art Consulting neste trabalho, com ferramentas tecnológicas que antes tinham que ser contratadas na Europa. Fonte: Agencia TELAM.De acordo com o último relatório publicado pela renomada agência internacional Artprice, o mercado global de arte gera mais de 13 bilhões de dólares anualmente. Neste campo, a tecnologia desempenha um papel muito importante porque é um aliado fundamental quando se trata de avaliar obras artísticas e investigar sua autenticidade. Este é o caso do trabalho que está sendo realizado atualmente pelos especialistas do INTI, a pedido da consultoria de arte GIVOA, para determinar a autenticidade de uma escultura de madeira policromada do Cristo crucificado atribuída a Aleijadinho. O artista é famoso por ter criado (entre 1796 e 1805) 12 estátuas de profetas e 66 imagens esculpidas em madeira no santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, no estado brasileiro de Minas Gerais, Patrimônio Mundial da UNESCO. “Através de uma peritagem estamos investigando a correspondência contextual-histórica da peça, a semelhança estética com outras obras do artista (ou seu atelier) e confirmando a atribuição ao grande mestre ou a outro autor – já que muitas vezes foram iniciados por um artista, completados por outros e poderiam também ter a autoria da pessoa que coordenou o projeto ou do dono da comissão -“, explica Gustavo Perino, fundador da GIVOA. A obra pertenceu a uma família tradicional brasileira que a teve para seu culto particular por mais de um século e está agora na Argentina. “Em nosso laboratório de Ensaios Não Destrutivos realizamos estudos radiográficos de toda a peça para determinar as características de seu sistema construtivo, desde os métodos de ancoragem ou fixação até a presença de elementos estruturais metálicos em seu interior”, detalha María de los Milagros Córdova do INTI, que faz parte de um grupo interdisciplinar de técnicos e profissionais do Instituto, especializados em diferentes materiais que contribuem com seus conhecimentos para o estudo dos bens culturais. “As peças metálicas, como a coroa de Cristo e os pregos que a seguram na cruz, nós as analisamos por meio de fluorescência de raios X, a fim de saber que tipo de liga as compõe”, acrescenta a especialista. O Instituto também analisou a policromia (pintura com múltiplas cores) da escultura através da espectroscopia FTIR e Raman, e microscopia eletrônica de varredura com sonda EDS. Para realizar este último teste, devido às dificuldades que a atual pandemia apresenta para o trabalho presencial, a amostra foi analisada remotamente, por meio de uma reunião virtual entre o operador do equipamento e os analistas do Laboratório de Bens Culturais. O trabalho é enquadrado dentro das ações implementadas por Givoa e o INTI com parceria estabelecida desde 2015, para a interpretação complementar dos resultados junto aos restauradores, especialistas e historiadores para a emissão de certificados de autenticidade de obras de arte. Com relação à peça em estudo, Perino conclui que “independentemente dos resultados, que estarão disponíveis nos próximos meses, trata-se de uma peça artística espetacular que tem antiguidade e valor patrimonial para a arte sacra latino-americana”. Link noticia TELAM
No Comments

Post A Comment

três × 5 =