Recorde para um desenho de Rubens, vendido por 8,2 milhões de dólares

Sua venda causou uma grande controvérsia na Holanda, já que pertencia à princesa Cristina. Tem sido criticado que não foi oferecido antes aos museus do país

Um desenho de Rubens foi vendido por 8,2 milhões de dólares em um leilão realizado na sala da Sotheby’s em Nova York, superando em muito seu preço estimado: entre 2,5 e 3,5 milhões de dólares. É “Estudo nu de uma jovem com os braços levantados” (1610), 49 por 31 centímetros e feitas com esboço giz preto de uma das figuras que Rubens pintou em um retábulo da Catedral de Nossa Senhora em Antuérpia (Bélgica). Supõe um novo recorde em leilão para um desenho do professor. O anterior foi estabelecido, em um leilão da Christie’s em Londres em 2014, com 3,2 milhões de libras (5,5 milhões de dólares) por “Samson and Delilah”.

Esta venda foi precedida por uma grande controvérsia em Holandapues a obra pertenceu à Família Real do país. Foi adquirido em 1838 pelo príncipe William de Orange, futuro Guilherme II da Holanda, e sua esposa, Anna Paulowna, grã-duquesa russa. Diferentemente da maioria das monarquias, na Holanda existe uma separação entre o patrimônio nacional e o dos soberanos do país. A fortuna da Família Real foi estimada em 2011 em 220 milhões de dólares pela revista «Forbes»



Imagem do leilão do desenho no hall da Sotheby’s em Nova York – AFP

Nas últimas semanas, o anúncio do leilão de várias obras de arte da coleção da Família Real Holandesa foi duramente criticado pelos museus do país. Foi o caso de Sjarel Ex, diretor do Museu Boijmans, em Roterdã, que detém uma importante coleção de Rubens. Eles acreditam que a princesa Cristina – a tia atual do rei – que era dona do desenho de Rubens, deveria tê-lo oferecido primeiro aos museus do país antes de colocá-lo à venda em um leilão no exterior. Para eles, é um dever moral dos museus do país, sendo, na opinião deles, parte do patrimônio cultural holandês.

O primeiro-ministro Mark Rutte disse que era um “assunto privado”. “Uma distinção importante deve ser feita, uma vez que o desenho pertence a uma coleção particular”, disse à AFP Greg Rubenstein, chefe do Departamento de Desenhos dos Velhos Mestres da Sotheby’s. “O dono pode fazer o que quiser, até vendê-lo.” A Princesa Cristina removeu um conjunto de cristal Lalique do leilão, pois era um presente de casamento dos embaixadores holandeses para seus pais. Foi considerado um presente oficial e não poderia deixar o país.

Fonte ABC Espanha

No Comments

Post A Comment

14 − três =